sexta-feira, junho 03, 2011

Cíclico


Comovo-me com as menores coisas boas. Com gentilezas ridículas, risíveis, subatômicas. Eu, só eu, planto estrelas em lugares insignificantes, como quem semeia trigo em meio a um monte de pedras. Planto metáforas onde tudo é racional e árido. Nunca colhi nada, até agora...

É como se uma estranha maldição condenasse tudo a fenecer. Desde que ouvi as palavras encantatórias, tornei-me uma criatura sonambúlica que lhes obedece às ordens. E eis que uma estranha pulsão de morte se apossou de meus gestos, e meu trabalho tem sido apenas encaminhar as coisas ao seu final. Tudo o que toco, conduzo ao momento derradeiro. Como uma minúscula formiga operária cujo trabalho é abrir discretos túneis que levam ao precipício. Só ajo porque existe o fim. Se semeio um campo inteiro de trigo, é apenas para entregá-lo à sanha dos gafanhotos. Se escrevo quilométricos tratados, o faço com a finalidade exclusiva de que sirvam de alimento às traças.

Não ouso lamentar por nada. Apenas me entrego ao ciclo fundamental de vida-morte-vida que rege o mundo. Caem as folhas secas, e encravam-se em meu peito, decompondo-se em matéria úmida que há de fertilizar minha carne. Algo nascerá, nem que seja uma planta minúscula e raquítica, que alimentará as lagartas. E haverá algo de mim nas borboletas em que estas se transformarão.

Quando eu puder voar com elas, entenderei o que leva os seres a partir.

Salaam

Layla

5 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Penso que alguns de nós estamos aqui para servirmos de intermediários, não somos o começo, nem o fim, somos o meio.Por algum motivo passamos pelas coisas e pela vida das pessoas, não para ficar, mas simplesmente para passar.Não consigo imaginar o motivo, se é que ele existe e nem mais me chateio com isso.Eu simplesmente passo, ou como Quintana, eu passarinho, assim como vc.
Beijos :o)

6/05/2011 05:41:00 PM  
Anonymous marli falou...

Também vou mencionar quintana pra dizer q vc vestiu as verdades nuas dentro de mim e pra dizer q não está só nesse sentimento de entre safra

6/16/2011 11:15:00 AM  
Blogger Janaina Cruz falou...

Layla, eu procuro ler muitos tipos de poesias pela internet, ler poesias me inspira, gosto de tentar entender o ângulo de visão do autor, e o que o levou a criar suas obras.

No entanto são raros os que emocionam-me, tua poesia me fez voar, me fez ver além de palavras e letras, me fez vislumbrar sopros, de tristezas e esperanças... Achei a perfeita!

E não te preocupes as estrelas que plantastes em lugares que julgavas insignificantes hoje brilham mais do que o sol.

Deus abençoe essa tua belíssima inspiração.

7/30/2011 10:54:00 AM  
Blogger S. Thot falou...

Olá Layla

Escrevi certa vez que

"A percepção dos ciclos em nossa vida é algo revelador. A vida deixa de ser uma linha reta e se torna um conjunto de espirais. Há ciclos curtos como um dia de trabalho, ou longos como uma amizade. Então a vida foge da somatória de dias amorfos e é pontuada por etapas a serem alcançadas e vencidas."

http://blogsementesagrada.blogspot.com/2009/07/do-ciclo.html

Obrigado por compartilhar sua visão conosco.

Felicidades!


Sergio

7/31/2011 10:48:00 AM  
Anonymous Anônimo falou...

"ACASO

"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "

(Antoine de Saint-Exupéry)

E aí, como as coisas estão ?

jose.marques@softtek.com

8/18/2011 07:07:00 PM  

Postar um comentário

<< Início