terça-feira, outubro 26, 2010

Do mar que me habita

(...) Não têm velas e têm velas;
e o mar tem e não tem sereias;
e eu navego e estou parada;
vejo mundos e estou cega,
porque isto é mal de família,
ser de areia, de água, de ilha...
E até sem barco navega
quem para o mar foi fadada.

Deus te proteja, Cecília,
que tudo é mar - e mais nada.

(Cecília Meireles, "Beira Mar", in Mar Absoluto e Outros Poemas)


Ai de ti, ó velho mar profundo, eu venho sempre à tona de todos os naufrágios!
(Mário Quintana)

Salaam
Layla

Imagem: http://imensomars2.blogspot.com/

2 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Mais uma vez, minha querida amiga, tive de indicar-lhe lá no blog :o)
Quem manda escrever assim à minha alma...
Bjossss

11/15/2010 06:54:00 PM  
OpenID O Blog do seu PC falou...

O mar é objeto de muitas inspirações:

O amor é como o mar
não tem discernimento:
a quem matar ou alimentar,
é totalmente sem ponderação .
Nunca decidimos a quem amar,
Quem escolhe é o coração.

11/16/2010 04:36:00 PM  

Postar um comentário

<< Início