segunda-feira, fevereiro 11, 2008

Quebrando o silêncio

Eu voltei. Vim limpar os vulcões do meu blogue, arrancar os baobás para que não cresçam e ocupem-no todo. Voltei porque passei muito tempo longe, e isto foi bom. É que acostumei-me a experimentar a vida pelas letras, mas passei, então, um tempo experimentando a vida pela vida, e agora tenho mais letras por causa disso.

Vim para dizer que voltei.
Até muito breve.

Salaam
Layla

8 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Oba!!!
Estamos à espera de muitas e muitas letras...
Bjos

2/11/2008 10:20:00 PM  
Anonymous Wagner falou...

Eis que seu fiel servo digital se apresenta para o trabalho de reconstrução de acordo com suas orientações.

Quando tiveres formulado uma idéia legal me da um toque!

2/12/2008 01:48:00 AM  
Blogger Maria falou...

espero ansiosa pela tua volta :)) beijinho

2/12/2008 08:53:00 AM  
Anonymous Roberta falou...

Que ótima notícia Layla!
Também estou ansiosa para ler seus textos.

Bjos!

2/12/2008 05:05:00 PM  
Blogger .:Då§:.:Rø§å§:. falou...

E viva a sua volta!

Estamos cheios de saudade!


Um beijo no seu coração

2/14/2008 04:57:00 PM  
Blogger Turmalina falou...

Ô Layla querida

Ri muito com seu comentário....eu estava achando o fim da linha ser um urso polar com passagem por Platoon...rs...

Mas um sapo com Apocalipse Now ganhou :o)

Beijos

2/15/2008 08:22:00 AM  
Anonymous Wagner falou...

Concordo que as mulheres são muito mais fortes do que acreditam ser. Alias, se colocarmos as responsabilidades das mulheres comparadas às responsabilidades dos homens, independente da cultura local (comparando todo o mundo), as mulheres precisam suportar muito mais coisas que os homens, o que inclui discriminação e preconceito apenas pelo fato de ser mulher.

Mas eu vou ter que ser o “cara do contra”. As mulheres nunca vão mudar o mundo. As mulheres no meu ponto de vista são como os gatos da história “Um sonho de mil gatos”, escrita pelo Neil Gaiman e publicada na revista Sandman (na versão encadernada está no volume três, Terra dos Sonhos).

Neste conto, uma gata desiludida descobre que se ela conseguir fazer com que mil gatos tenham o mesmo sonho, ele se tornaria realidade. Ela então peregrina pelo mundo na esperança de convencer mil gatos que sonhem em um mundo controlado pelos felinos. Porém, isto nunca se realizaria “porque é impossível convencer mil gatos a fazer qualquer coisa ao mesmo tempo”, palavras de um dos gatos do conto.

O problema das mulheres não é organização ou qualificação ou até mesmo força, o problema é acreditar. Homens são como lunetas que vêm o horizonte, mas deixam de perceber com detalhes o que se passa ao redor, já as mulheres são como microscópios, percebem tudo nos mínimos detalhes tudo ao seu redor, mas não olham para o horizonte. Talvez esta característica venha das próprias responsabilidades que lhe são atribuídas, ou como tu mesma disseste as suas prioridades.

2/27/2008 03:17:00 AM  
Blogger Ada falou...

Um prazer enorme ter te descoberto, ou na verdade, o certo é dizer o prazer de ter descoberto um esse espaço cheio de palavras da alma e das almas boas. Tentando homenagear uma mulher no dia 8, acabei passando por aqui. Não só Como água para chocolate, como também Chocolate, A festa de babel, e tantas feminilidades que ficam perdidas no meio da alcatéia.
Adorei te conhecer!
Obrigada.

3/09/2008 10:08:00 AM  

Postar um comentário

<< Início