quarta-feira, julho 18, 2007

Sobre todos os filhos que gerei


Enquanto não concebo filhos,
dou palavras à luz.
As palavras são meus filhos.
Trazidas ao mundo muitas vezes em meio às mesmas dores
com que novas almas são trazidas à claridade.
O pensamento é a gestação.
A escrita é o parto: tantas vezes, tão dolorosa
quanto as entranhas expostas.
Ato mecânico e divino
é meu momento de maior proximidade com a maternidade.
Torno-me mãe de tantos filhos quanto posso escrever -
tantas palavras, que se confundem comigo
que carregam meus genes
e a cor dos meus olhos.
Deposito vida em cada uma delas e,
como fossem filhos,
quanto mais se tornam vivas,
mais vivo, eu também.

Mirandópolis,
13/julho/2007
05:25 a.m.

Salaam
Layla

Imagem: Pablo Picasso (é claro...)

9 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Que bom vê-la viva assim....
Bjos

7/18/2007 09:34:00 PM  
Blogger Lu falou...

Olá, querida, tudo bem? Quanto tempo não passo por aqui. Mas fico feliz em te sentir mais leve, mais viva, efetivamente mais feliz! Continuo torcendo por você. Bjs.

7/19/2007 04:27:00 PM  
Blogger Big Daddy Big Head falou...

Queryda e amada Layla,
Suas palavras são lindas e inspiradoras porém, meu filho tem olhos azuis....hihihihihih...
Beijos

7/19/2007 07:25:00 PM  
Blogger Casulo Temporário falou...

Layla,

Sou uma estreante no mundo dos blogs e é a primeira vez que escrevo um comentário para alguém, movida pela beleza de seu blog e pela identificação com os mesmos afetos literários, com os gatos e, en passant, com a psicologia.
Parabéns, é um prazer estético passear por aqui.

8/03/2007 10:40:00 AM  
Blogger Casulo Temporário falou...

Fiquei feliz por sua visita, Layla!
...e não acredito, alguém que escreve como você jamais será "chata e neurastênica".
E esses rótulos, especialmente os psicológicos... who cares?
Uma boa semana pra você.

8/05/2007 05:22:00 PM  
Anonymous Anônimo falou...

Saudade de ti!
Brisas

8/17/2007 10:11:00 PM  
Blogger Casulo Temporário falou...

Na corrida com os lobos, quando novos posts vão ser deixados aqui?
Um abraço, de um dia frio em Salvador.

8/20/2007 06:25:00 PM  
Blogger Letras de Babel falou...

palavras que dóiem como ter um filho mas que nos fazem felizes depois de as vermos aconchegadas na rima certa.

palavras que ficarão cá, como um filho, quando nós partirmos.

um pouco da nossa eternidade...



bom poema.


beijos

______.

8/24/2007 01:22:00 AM  
Anonymous dauria falou...

Adorei seu blog, voltarei sempre, vou já fazer as bolachas....
bjs

4/23/2009 04:40:00 PM  

Postar um comentário

<< Início