sexta-feira, junho 15, 2007

Das letras que cintilam


Eu, que me acostumei a viver à sombra da melancolia, que me acostumei a olhar de dentro todos os abismos possíveis e a eliminar a conversação com qualquer forma de esperança; eu que me acostumei a parir palavras tão amargas quanto o pior remédio, na ânsia de curar uma insônia perene e uma fome do amor nunca sentido. Eu, que tantas vezes peguei a caneta para fazer com que a tinta cantasse um fado num papel que me olhava como se visse em mim o que há de pior. Eu, que passei quase três décadas amontoando descontentamento, assisto atonitamente o nascimento de palavras novas, como o espectador do pôr-do-sol mais belo de um verão rosáceo. Como se as palavras que hoje me vêm à boca, e às mãos, que escrevem, fossem tomadas de uma luminosidade supreendente, como aquela que acende inesperadas cores nas lanternas chinesas de papel, como disse Mário Quintana. Uma luminosidade que não sei dizer de onde vem, mas que ilumina estas palavras e esta casa; uma luminosidade que atravessa quilômetros de distância, uma luminosidade que se dispersa num prisma que tinge de cores as paredes outrora cinzas. Arrisco-me a dizer que a luz que invade estas palavras vem dos teus olhos escuros, dos quais paradoxalmente emanam todas as cores que sei distinguir.

Ana bhibak
Layla

Imagem de Shark, disponível em charquinho.weblog.com.pt/arquivo/2006/09/index0

(Para quem quiser ler, o poema de Quintana citado aqui chama-se "Eu queria trazer-te uns versos muito lindos", e está disponível, entre outros lugares, em: http://www.releituras.com/mquintana_menu.asp)

7 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Uma luminosidade que vem da palavra felicidade, minha amiga!
É o prazer de sentir-se feliz, plena, satisfeita, aquecida, confortada, ou seja, amada e amando, que emana esta luz!
É uma força motriz que vem de dentro do peito, de uma forma que muito mal explicamos.
Abrir-se ao amor, não importando o qto ele dure(mas se for eterno melhor),faz abrir inúmeras portas até então perdidas dentro de nós. Elas estavam lá sempre...só esquecidas e foi preciso uma luz diferente para encontrá-las.
Grande beijo feliz

6/15/2007 09:37:00 AM  
Blogger Big Daddy Big Head falou...

Escolhas...

Nossas vidas são feitas de escolhas, basta fazermos a certa (ou a errada) que lá esta o desencadear de fatos em nossas vidas decorrentes desse momento único e real que é de se fazer uma escolha.
Um certo dia, bem quase há 22 anos atrás, eu parei e pensei sobre o meu futuro, sobre o que eu queria ser na minha, o legado que eu poderia deixar, e principalmente como eu gostaria de ser reconhecido no meu leito de morte.
Poderia até ser um insight pré-maturo, confesso mas, eu sempre fui meio precoce e rebelde.
Até que algum tempo atrás uma das minhas sobrinhas me deixou tal depoimento no orkut.

“Pra falar do Bid Daddy Big Head tenho de pensar em mim. Durante toda a minha vida a família da minha mãe perguntava de onde eu tinha vindo. A quem eu tinha puxado. Da família dela não era, todos sóbrios e sérios. E da família do meu pai também não, diziam, porque a Dona Augusta é uma princesa e os tios todos envolvidos com a vida. De onde vinha a graça? O brilho incansável no olhar? O jeito de enfrentar a vida sem amarras? A palhaçada em todas as horas? O desafiar a vida com uma piada? Sem contar o tamanho 2x2? As caretas? Os palavrões? E é nas respostas que me encontro com o Big Daddy Big Head. Puxei dele, vim dele, me inspirei e espelhei nele. E todos uníssonos: Ah éééé, o Big Daddy Big Head!!! Sem dúvidas um Big Daddy Big Head que passou no posto e turbinou a comissão de frente. A ele só tenho a agradecer por ser a base, por ter me ensinado que sorrir, rir e gargalhar nunca é demais. Pelo contrário, é o remédio e o bálsamo para a vida inteira e para o mundo. Se todos rissem e amassem como o Big Daddy Big Head, o mundo seria melhor. Amado, obrigado por me deixar ser quase vc!”

Amar foi a escolha que eu fiz, amar vida, amar a mim mesmo, amar os limões azedos que a vida nos dá pois, com ele conseguia e consigo fazer limonadas maravilhosas, amar as pessoas tentando não julgar, enfim, AMAR!

Depois disso, já quando não pensava em família, Deus me presenteia com a CruzCredoFamily e ai,parei, olhei ao meu redor, e tive a certeza mais que certa (se é que isso existe..rss) que fiz a escolha certa.

AMAR!

Cheers!

6/15/2007 11:37:00 PM  
Blogger .:Då§:.:Rø§å§:. falou...

Vivas a escolha do Big Daddy Big Head!



\o/

Fico feliz por você!

Fico feliz por saber que os remendos e as costuras que um dia nos aproximaram façam parte do passado: do meu e do seu!

Viva a nova colcha de retalhos que hoje costuramos com cores alegres!


Um beijo no seu coração, beduína

6/15/2007 11:48:00 PM  
Blogger (l' excessive) falou...

Isto é o que chamo de saber dizer poeticamente que se está feliz.
Lindo, lindo seu depoimento.
Tocante tb. o que Big Daddy fala de sua experiência de vida.
Viva a vida, viva o amor e viva as coisas simples que nos fazem vibrar!
Um beijo

6/16/2007 10:03:00 AM  
Blogger sharkinho falou...

É uma honra e um privilégio ter uma foto minha a ilustrar esta prosa, colega.
Um grande obrigado da outra margem do Atlântico.

6/17/2007 08:10:00 PM  
Anonymous Mone falou...

É estranha, mas quando passo por aqui me sinto chegando em casa...
Beijo à todos com quem sempre esbarro.

Mone

6/18/2007 02:16:00 PM  
Blogger Letras de Babel falou...

há sempre um momento brilhante na vida

ou

por outras palavras (?)

há sempre a nossa hora má
há sempre a nossa hora boa.

é a tua boa. brilhante.
agora.
segue-a, querida.
cada segundo.

_______________

beijos do lado de cá.

6/22/2007 08:55:00 PM  

Postar um comentário

<< Início