domingo, maio 13, 2007

Sobre as mães; sobre o amor



Nos dias em que minha vida esteve escura, eu não vi nada mais cintilante que os teus olhos. Fazia sentido chamar por você, mesmo longe. É que a tua escuta desconhece a distância. E a voz do filho se faz audível em qualquer lugar.

Seus olhos são o que mais me lembra você. Claros como um favo de mel, graças às gotas do teu sangue germânico, eles nem de longe lembram meus gigantescos olhos escuros e mouriscos. Não saí à tua imagem e semelhança. Mas um dia me disseram que meu sorriso era igual ao teu e, desse dia em diante, eu fui mais feliz.

Nos dias tristes, eu sempre corri buscando teu colo. Mas hoje não é um dia triste. Entretanto, queria eu o mesmo colo, apenas por querer. E quando escuto a tua voz, eu tenho a exata dimensão do amor que um dia quero aprender a sentir. O dia em que minhas entranhas forem rasgadas pela claridade que trará ao mundo uma nova vida, quem sabe eu possa conversar com teus olhos claros de igual para igual. Por enquanto, estou em absoluta desvantagem. Só uma mãe sabe a dimensão exata do amor que isto encerra.

Salaam
Layla

Imagem: Krishna e mãe Yasoda

12 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

Oi querida
Lendo suas palavras me dei conta que só passei à compreender minha mãe, quase que na sua plenitude, depois que me tornei mãe.
Não que nos tornemos perfeitas, nada disso, mas entendemos melhor o que uma mãe pode fazer por um filho.Muitas vezes metemos os pés pelas mãos, mas é por amor!
Beijos doces

5/14/2007 07:07:00 AM  
Blogger .:Då§:.:Rø§å§:. falou...

Eu sabia que só deveria passar por aqui quando o Dia das Mães tivesse passado... Sabia que choraria feito criança e mãe, ao mesmo tempo!
Pois é, querida Layla! Quisera eu que cada um, homem ou mulher, pudesse sentir 1/4 do que é o "amor de mãe" antes de deixar de ser apenas filho...
É um amor que dói de tão grande! Que te dá forças pra ser leoa, quando você queria ser apenas um filhote de gato...
É ver o seu corpo mudando dia após dia: o aumento de peso, os vasos que estouram fazendo um mapa na sua perna, são as estrias que aparecem, ah são tantas coisas...
Ao mesmo tempo você agradece a Deus ao ver cada uma dessas marquinhas aparecendo!
É um sentimento tão louco, que ao invés de pedirmos para não sentir as dores do parto, oramos apenas para suportá-las!!!
É sentir dois corações batendo ao mesmo tempo, em frequências diferentes e, para depois de um tempo, você ter o dono daquele segundo coração nos seus braços!
É não saber segurar um bebê, é não saber trocar fraldas, é não saber se terá leite o suficiente pra alimentar o teu filho, e ainda assim ter a coragem de enfrentar todos os seus medos!
É pedir que o resfriado venha pra você...
Que as cólicas passem dele pra você, como se fosse mágica, só pra não vê-lo sentir dores que você sabe que são normais e que fazem parte do amadurecimento daquele corpinho...

Enfim, é a "dor" de nascer como uma nova pessoa, pra depois parir um novo ser!

Abençoados sejam todos os medos, já que todos são superáveis!
Abençoadas sejam todas as dores, já que todas são suportáveis!

E que, acima de tudo, todas as alegrias sejam bem vindas!

5/14/2007 09:16:00 AM  
Anonymous Mone falou...

Este ano aprendi, da forma mais intensa e terrível que se pode imaginar, o que é ser mãe. Ser mãe é tomar a espada nas mãos e apenas com um golpe cortar o vínculo que une mãe e filho. É entender que o vínculo não quer dizer nada em comparação com o AMOR. Esse sim, não tem tamanho, transborda. Amor de mãe é maior que a própria mãe, preenche-a toda, cerca-a toda, envolve o planeta, a galáxia, o cosmos. Na história de Salomão a mãe abre mão do vínculo em detrimento a vida do filho, por esse motivo ganha-o para sempre, mas não para si. A mãe não ama o filho por ser dela, mas por ser dele mesmo, por ser ele mesmo. Amor de mãe dói, Das Rosas tem toda razão. E é eterno, para traz e para adiante. Já amava minha filha bem antes dela ser gestada pelo útero que a entregou em meus braços e tenho certeza que após minhas cinzas serem lançadas ao mar meu amor continuará pulsando por ela pela eternidade.
Mas sou filha e, após toda a vivência intensa, densa e terrível que tive esse ano como mãe, pude me nutrir na docura dos olhos cor de mel de minha mãe. E agora posso dizer que a amo muito mais ampla e abertamente, pois de meu lugar de mãe a entendo muito mais e, com a maternidade, conheci uma capacidade de amar que me era inimaginável.

Se as lágrimas são o amor transbordando... Espero que amor faça bem para a pele, pois meu rosto está todo molhado......

Beijos,

Mone

5/18/2007 12:41:00 PM  
Anonymous Anônimo falou...

Querida Layla,

Que doçura teu texto... Como a Mone disse, estou chorando até agora, um choro bom...
Fiquei lembrando de Maria Madalena, que não foi mãe, e que se ressentia por isso. E Jesus recomendou que ela olhasse adiante e visse tantos filhos sem mãe...
Amor de mãe se expande mesmo que os filhos não sejam nossos... mesmo que o filho seja a nossa mãe! Já pensou nisso?
Um beijo de brisas molhadas e todo carinho e admiração de sempre!

Carla

5/19/2007 11:48:00 AM  
Anonymous Mone falou...

Layla e Carla, essa é a mais pura verdade:- "Amor de mãe se expande mesmo que os filhos não sejam nossos... "
Hj, tal como uma leoa, estou indo proteger e defender minha filha, que embora não tenha habitado meu útero é rainha absoluta de meu coração. Desejem-me boa sorte!

Beijo a todas vcs.

5/21/2007 09:04:00 AM  
Blogger .:Då§:.:Rø§å§:. falou...

Mone,

Você está certíssima!
As mulheres se empoderam mesmo que as crias não tenham saído de seus ventres!
Que Santa Anna (a avó das avós e a mãe de todas as mães, tenho muita fé nela) te abençoe e que hoje, 22/05 tenhamos notícias boas!

5/22/2007 07:41:00 AM  
Anonymous Mone falou...

Olá linda flor, obrigada por sua benção. Santa Anna esteve comigo e até agora está tudo bem. Haverá (infelizmente) outros momentos horrendos como o de ontem, mas nada paga a alegria da minha filha ao saber que ficaria comigo (ainda que provisoriamente). Que Santa Anna, sua Filha e Neto continuem tendo piedade desta mãezinha aqui.
Obrigada pela força e beijos a todas vcs.

Mone

5/22/2007 11:23:00 AM  
Blogger Big Daddy Big Head falou...

HUmmmm
Pergunta!
No Dia dos Pais tu também vai escrever algo bonito assim?...rssss
Beijos e continuamos lhe aguardando

5/22/2007 07:17:00 PM  
Anonymous Mone falou...

Conheço a Layla só a distância, mas durante esses meses, em que passo por aqui feito Big Brother, já posso dizer ter certeza que no dia dos pais ela será tocada por essa pessoa tão especial na vida de uma criança. Pai é bússola, guia, limite, força, estabilidade. Pena que, nem todos que se dizem pai, ajam de forma a dar isso aos filhos, são apenas falastrões com egos imensos. Mas certamente, a Layla, a Das Rosas, eu e outras mulheres que convivem aqui vão reconhecê-lo e reconhecer aqueles que são pais de verdade.

Mone

5/23/2007 09:37:00 AM  
Blogger Layla falou...

Na verdade eu nem mesmo sei como expressar minha gratidão com tantas mensagens de ternura... Saber que mobilizo o afeto das pessoas pelo simples fato de expor meu sentimentos é algo que me faz, continuamente, manter a fé no mundo... E quanto à Mone, a torcida organizada já está toda aqui, aguardando as boas notícias e enviando nossos melhores pensamentos para que os dias vindouros sejam todos de sol...

Eu sou muito feliz por ter a companhia virtual de todos vocês...

Salaam
Layla

5/24/2007 08:07:00 AM  
Blogger Letras de Babel falou...

tenho o teu blog nos meus favoritos desde o ano passado. não me lembro se alguma vez o comentei, faço-o agora. assim como o linkarei no meu blog.
começou por me despertar o teu perfil. a descrição e anseios. as citações de mulheres de quem gosto tanto, também.
a tua coerência nisso tudo.


sobre este post, em concreto, serei muito breve:
nenhuma mulher está completa sem exercer a sua função de fémea. não só fazer um filho e parir (que isso de só se sentir a maternidade pelas dores de parto é a mais pura treta), mas cuidar a sua cria; o único e verdadeiro amor eterno em que acredito; apesar de muitos pesares, por vezes, não tem troca.

e é uma feminista que te fala...

:)

__________________

tudo por agora

1 beijo

5/24/2007 10:08:00 AM  
Anonymous mone falou...

Layla, amiga (já me dou o direito de chamá-la assim) obrigado pela torcida e continue com ela por fv.
Beijos e fico feliz de ver que está dando mais o ar de sua graça por aqui, vc faz falta.
Mone

5/31/2007 02:03:00 PM  

Postar um comentário

<< Início