quinta-feira, dezembro 29, 2005

Do pôr-do-sol na velha estação

Acaba de chover, e é doce pisar com os pés o chão molhado. É bom tirar os sapatos, sentir a terra, caminhar a esmo. Como diria Clarissa Estés, a mulher selvagem geralmente gosta de perambular. É meu caso.

Caminho pela velha estação de trem, onde passei tantos momentos da adolescência. É uma construção já abandonada, o que a torna ainda mais agradável. O ar nostálgico me é incrivelmente familiar. O trem velho, parado, me convida ao que fiz tantas vezes, por volta dos 15 anos de idade: subir em cima dele e ver o sol cair. O céu multicolorido, numa mescla de tons rosáceos que causaria tristeza a Monet. E quando o sol vai dormir, aparecem as estrelas, a fitar o mundo escuro com milhões de olhos.

Distante de tudo e de todos, eu fito também o mundo com meus olhos vagos. Sobram-me recordações de todo tipo, tanto doces, quanto deveras amargas... Recolho-as todas dentro de mim – “São minha vida... Ninguém me poderá tomá-las”. Recolho os sonhos felizes e os malogrados, as juras de amor e as despedidas. São parte de mim, são o relicário que carrego nos olhos. Recolho as músicas em francês e os poemas em russo. Recolho as velhas canções árabes.

São meus pedaços.

Não tenho vontade de trocá-los por nada. Nem por uma vida de anestésica e perene felicidade. A mulher que sou hoje é também resultado de suas profundas cicatrizes. Alguns cortes tão profundos, costurados à mão, entre gritos de dor... E alguns momentos de tanta alegria, que merecem ser emoldurados ao som da nona sinfonia de Beethoven. Eu sou o resultado disto tudo.

Sinto-me bem, aqui comigo... Sinto pinceladas de uma esperança nascente. Tenho a sensação de que não estou só.

Salaam
Layla

9 Pitacos:

Blogger Turmalina falou...

E é claro que vc não está só!!!
Fico feliz em ler-te assim...
Hoje tb tive o meu momento terra, bem terra!
Finalmente meu canteiro está ficando pronto, fiquei de terra até os cotovelos.
Saí direto do canteiro para o chuveiro. Mas foram, sem dúvida, as melhores horas do dia!
Não podemos deixar de praticar este contato direto com a natureza, faz um bem enorme à alma...
Um grande beijo de uma alma leve e feliz!

12/30/2005 12:03:00 AM  
Anonymous Michelle Rocha falou...

Nessa época a nostalgia toma mais conta de nossos dias... É muito bom olhar pra trás e ver o tanto que a gente mudou. E saber que ainda podemos mudar um tanto mais.

É o último dia do ano e vim aqui te desejar muita luz e força... Que se sinta bem com você sempre - vou tentar fazer o mesmo!

E, repetindo o que já foi comentado: você não tá só não!

Um 2006 maravilhoso!

12/31/2005 09:42:00 AM  
Anonymous Anônimo falou...

Oi Fia, vc me fez sentir saudade de onde eu nasci e cresci...nunca mais me senti inteira desde q saí de MG, é uma tristeza doce...
Mas vc me fez ter vontade de escrever de novo..aguarde novidades para 2006!!!

Bjos

Iony

12/31/2005 01:04:00 PM  
Anonymous Rodrigo falou...

Hum, achei!
Fui no seu blog velho!

1/03/2006 10:11:00 PM  
Anonymous Giane B. falou...

Estou feliz Laila. Feliz como quem abraça um ente querido. Uma amiga há muito tempo "sumida", porém não "esquecida". Um Feliz 2006, com tudo de novo que vc conquistar amiga; na mente, nas palavras e no coração.

1/04/2006 09:33:00 AM  
Blogger Lu falou...

Feliz 2006!!!! Que alegria te encontrar por aqui. Sua casa nova nunca me pareceu tão ensolarada (ainda que o template seja escuro...rs). Não, não está sozinha. Tem, principalmente, a sua fibra, a sua história, além de uma infinidade de outras coisas que às vezes é difícil de enxergar. Mas acho que está tudo mudando, não?! Na torcida por um ano novo dos melhores! Aliás, ele já começou. Bjs.

1/05/2006 12:14:00 PM  
Blogger Brisa falou...

Oba! Novidades da Iony, novidades tuas!!! Achei que já tinha te escrito... Feliz 2006, Layla!
Bons ventos soprem sobre nós!

1/05/2006 05:37:00 PM  
Anonymous Cris falou...

Minha querida Layla em nova casinha, feita com muito esmero e sentimento.Comme d'habitude.
Desejo-te as sementinhas esperançosas do vir-a-ser, bela amiga. Sempre com a vivalma resplandecendo.
Bisous.

1/05/2006 11:30:00 PM  
Anonymous Janaína falou...

Que doce, romântico, suave e ardente é ler suas palavras. Que Deus te abençõe pelo dom de escrever!!!

1/06/2006 10:44:00 PM  

Postar um comentário

<< Início